Previdência privada ou INSS? Entenda a diferença

A aposentadoria é o momento em que se busca descanso e estabilidade financeira mínima. Já que o objetivo dela é  custear todas as despesas consequentes dessa fase da vida. Além dos gastos básicos com alimentação e moradia e o que se espera é que ainda sobre uma quantia para aproveitar com tranquilidade os anos de descanso.

Para chegar nessa fase com a estabilidade financeira desejada, é preciso pensar desde já qual o tipo de previdência será feita. Por isso, vamos esclarecer agora da diferença entre a previdência privada e o INSS. A partir disso você poderá escolher a que melhor se adeque às suas expectativas.

 

Previdência Privada

A Previdência Privada não é ligada ao INSS e pode ser feita em qualquer banco. Essa opção de aposentadoria existe como uma alternativa ou mesmo um complemento à aposentadoria pública. Sua principal vantagem é que a pessoa pode escolher o valor com o qual ela quer contribuir mensalmente.

Após o tempo de contribuição a pessoa passa a receber mensalmente o montante que definiu como “salário”, que é proporcional ao investimento feito previamente. Ou, caso desista do investimento, é possível retirar todo o dinheiro (depois de ter respeitado o período de carência da conta).

Existem basicamente dois tipo de Previdência Privada, são eles o VGBL e o  PGBL. Ambos funcionam a partir do reinvestimento da quantia mensal paga aos bancos. A instituição que vende o plano da previdência investe em diferentes ativos, para que, dessa forma, atinja uma rentabilidade que se torne um valor considerável mensal a ser recebido no momento da aposentadoria. Ou seja, a Previdência Privada é bem similar a um fundo de investimento.

Leia também: Quem pode se antecipar e evitar os impactos que virão com a Reforma da Previdência

PGBL (Plano Gerador de Benefícios Livres)

Nesse modelo de previdência privada o investidor consegue abater o valor pago mensalmente do Imposto de Renda (desde que não passe de 12% da renda bruta anual). No entanto, quando começar a receber o equivalente a aposentadoria, ele precisa pagar o imposto sobre o valor total acumulado.

 

VGBL ( Vida Gerador de Benefícios Livres)

Já nesse plano de previdência não é possível que o imposto de Renda seja abatido ao longo da vida, como no modelo anterior. Mas a vantagem é que não é preciso pagar sobre todo o montante durante a aposentadoria. O que será cobrado é a apenas o imposto sobre a renda mensal.

 

Vantagens e desvantagens da previdência privada

Um dos pontos positivos da aposentadoria privada é que é similar a um seguro de vida. Em caso de morte a quantia é passada para a família sem necessidade de passar por um inventário ou de pagamento de Imposto de Renda.

Já as desvantagens são o alto custo do investimento e a incerteza. Porque, além da taxa de carregamento, que é o valor cobrado sobre a quantia mensal depositada, é preciso pagar anualmente uma taxa de investimento. Que seria o equivalente ao serviço oferecido de investir o dinheiro em ações para gerar lucros. Além disso, não há garantia de que o investimento terá atingido o montante desejado no momento de contratação do serviço.  Já que o retorno de investimento são sempre variantes.

Você também pode querer ler: Aprenda a fazer o seu planejamento financeiro pessoal 

Previdência do INSS

A previdência do Instituto Nacional de Seguridade Social é um direito garantido pela Constituição Federal e faz parte dos Direitos e Garantias Fundamentais de todos os brasileiros. Ou seja, é pública e funciona como um sistema de proteção ao trabalhador.

O benefício é concedido no momento em que a pessoa vai se aposentar.  E isso depende da idade e tempo de contribuição. Ou, pode ainda ser concedido em casos de gravidez, doença, morte, invalidez, desemprego, etc. Mas, para a garantia do benefício do INSS é preciso contribuir com um valor mensalmente. Para trabalhadores de carteira assinada esse pagamento cabe ao contratante. Já se a pessoa for autônoma, o benefício deve ser garantido pelo próprio trabalhador.

O funcionamento da previdência pública é similar ao da previdência privada. O dinheiro investido mensalmente acumula juros que se tornarão o salário mensal a ser recebido durante a aposentadoria. A grande diferença entre as duas é que, neste caso, a  quantia investida ao longo da vida não pode ser retirada quando bem desejar. É preciso respeitar os pré-requisitos como tempo de contribuição e idade mínima para começar a receber o benefício.

Existem basicamente dois tipos de previdência pública, veja abaixo:

Regime Geral Previdência Social (RGPS)

Abarca a maioria dos trabalhadores, como: empregadores, empregados assalariados, trabalhadores domésticos, autônomos e trabalhadores rurais.

 

Regime Próprio Servidores Públicos (RPPS)

Já essa modalidade de aposentadoria é voltada para servidores públicos. Inclui empregados das empresas públicas, agentes políticos, servidores temporários e detentores de cargos de confiança.

Com a explicação das diferenças da Previdência Privada ou INSS fica mais fácil escolher qual é o modelo que melhor se encaixa às suas expectativas e necessidades para o futuro. Se deseja uma assessoria mais detalhada para fazer a escolha e contratar os serviços, entre em contato conosco clicando no banner abaixo.

Banner fale conosco



Deixe uma resposta