Aprenda a fazer o seu planejamento financeiro pessoal

O planejamento financeiro pessoal nada mais é do que entender como administrar bem o próprio dinheiro a curto, médio e longo prazo. Por mais complicado que isso possa parecer, com um pouco de esforço diário e metas bem definidas é possível ter uma vida financeira saudável e tranquilidade no futuro.

De acordo com pesquisa da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), SPC Brasil e Banco Central, 79% dos brasileiros mudaram os hábitos de consumo a partir da crise que aterroriza o Brasil desde 2014. A mudança aconteceu no âmbito da pesquisa de preço, de acordo com 59% dos entrevistados, redução de gastos com lazer (56%) e controle de gastos pessoais e familiar (55%). Por que os novos hábitos foram adotados em meio a crise?

No Brasil não temos o hábito de fazer planejamento financeiro pessoal. Por isso, em momentos de crise sofremos as consequências com impactos ainda maiores na saúde financeira debilitada dos núcleos familiares.

Vamos mostrar agora 5 dicas para você conseguir se organizar e garantir um futuro tranquilo.

Receitas e despesas

Coloque no papel ou computador as suas receitas e despesas. É importante fazer essa contabilização, pelo menos, mensalmente. O ideal é tomar nota dos gastos diariamente, para fazer um balanço ao final do mês. Dessa forma, é possível visualizar com o que tem sido gasto, quais são as despesas principais e o que da renda tem sido direcionado para compras desnecessárias.

Se você estiver fechando no vermelho é ainda mais importante que se faça esse registro. É preciso viver com a renda que ganha.  Além disso, a renda precisa ser suficiente para pagar todas as despesas, fazer investimentos e guardar uma quantia para emergências.

Se hoje as suas finanças pessoais não estão saudáveis a afirmação anterior pode até parecer utópica. No entanto, é possível chegar lá com empenho, organização e autocontrole.

Economize e invista

A parte de economizar é certamente a mais difícil de todo o processo do controle financeiro pessoal. Algumas atitudes diárias podem facilitar, como ir às compras como uma lista. Dessa forma, é possível organizar o que precisa ser feito, evita que fique tentando lembrar no mercado o que está faltando em casa e ajuda a controlar os gastos.

A regra é clara: só leve o que estiver na lista! Antes de ir para o shopping já saia de casa com objetivo e produtos necessários em mente. Assim evita cair na tentação da olhadinha que faz o cartão de crédito estourar no final do mês. A outra dica para a economia é parar de usar o dinheiro plástico. Opte por pagar  à vista, em dinheiro vivo, ainda mais quando descontos são concedidos.

Depois da economia, não basta juntar dinheiro em casa a vida inteira para se ter as finanças estáveis e rentáveis. Pense em direcionar parte da sua renda para investimentos. A poupança NÃO conta como um deles. Uma opção segura de investimento é o tesouro direto, que é 100% garantido pelo Tesouro Nacional e tem uma rentabilidade considerável.

Trace metas para alcançar o seu objetivo

É preciso definir aonde você quer chegar e em quanto tempo. A partir disso, saberá o quanto deve poupar e investir para alcançá-los. Mas, é importante ter em mente que o planejamento financeiro é algo para a vida toda, não é em seis meses nem em um ano que você ficará rico.

Assim como para emagrecer e manter o novo peso não basta fazer uma dieta radical, é preciso fazer uma reeducação alimentar. A saúde financeira depende de novos hábitos de consumo e administração. Na hora de planejar seus objetivos seja realista, pense no que deseja alcançar a curto, médio e longo prazo e esteja sempre checando-os, para medir se tem feito os esforços necessários ou se é preciso mudar as estratégias.

Imprevisto acontecem. Planeje-se!

O maior medo de todo brasileiro, principalmente com a crise econômica atual e todas as mudanças que vêm sendo empregadas na Reforma da Previdência, é o desemprego. Para se considerar uma pessoa com a vida financeira bem pensada é preciso ir além. Ou seja, pagar todas as contas, não estar no vermelho, fazer investimentos e ter uma reserva financeira de, pelo menos, seis meses o valor das despesas básicas.

Com isso, garante que não passará por momentos de dificuldade e descontrole financeiros em ocasionais imprevistos. E, dessa forma, não precisa lançar mão dos investimentos seguros que tem feito ao longo dos anos em uma eventual emergência.

Planeje o futuro

O que fazer a longo prazo? Planejar a aposentadoria e seus rendimentos futuros é a melhor forma de começar a pensar no planejamento financeiro pessoal à longo prazo. Com o auxílio da Análise da Vida Contributiva é possível calcular em quanto tempo é possível se aposentar, qual será o valor do benefício, o que pode ser feito para que o mesmo aumente e quais os documentos ou situações podem impossibilitar o benefício.

Com isso a Aposentar Soluções Previdenciárias pode te ajudar. Para saber mais sobre o serviço, clique aqui.  

Dica extra: contribuição para os filhos

Pensar no futuro se trata também de planejar até as próximas gerações. Por que não buscar meios de garantir também uma aposentadoria seguro para os filhos? Planos de previdência feitos ainda na adolescência são uma forma segura de poupar dinheiro. Na previdência do INSS os pais podem começar a contribuir para os filhos a partir dos 16 anos de idade do jovem, como segurado facultativo. Desde que o mesmo não exerça atividade remunerada que o enquadre como segurado obrigatório.

As opções de previdência privada para esses casos são inúmeras. E a quantia investida ao longo dos anos pode ser investida no futuro próximo, como custear a faculdade, um empreendimento ou um imóvel, por exemplo. Ou ainda para  seja para complementar a renda da previdência, anos mais tarde.

Para mais informações sobre as opções de previdência para os jovens e de planejamento financeiro pessoal,  entre em contato conosco.

Banner fale conosco



Deixe uma resposta