Saiba quais são os métodos usados para aumentar o benefício do INSS.

Você sabia que é possível aumentar o valor da sua aposentadoria, mesmo depois de muitos anos que começou a receber o benefício do INSS? Isso acontece porque existem situações que permitem solicitar uma revisão ao governo.

Entre elas, erros de cálculos, o que pode acontecer devido às mudanças ocorridas na lei, ao longo dos anos. Há também períodos de trabalho que podem não terem sido considerados na hora de calcular a aposentadoria do trabalhador.

Por isso, é importante estar atento a essas e outras possibilidades. De qualquer forma, nunca é tarde demais para rever se o cálculo feito está certo. Então, se você tem interesse no assunto e quer saber mais, continue lendo este artigo.

Nos tópicos a seguir, você confere as formas de aumentar o valor do seu benefício pago pelo INSS.

  • Recolhimento em atraso
  • Tempo insalubre
  • Inclusão de auxílio-acidente
  • Artigo 29
  • Reajuste do salário mínimo
  • Teto previdenciário
  • Vida inteira
  • Regra favorável
  • Buraco negro

Recolhimento em atraso

Essa forma de aumentar o valor do benefício é indicada para os trabalhadores autônomos e empresários que não contribuíram com o INSS em alguns períodos. Dessa forma, eles podem pagar de maneira retroativa esses anos.

No entanto, é preciso realizar um cálculo para se certificar que isso é viável. De qualquer forma, sendo possível, o trabalhador consegue antecipar a solicitação da sua aposentadoria ou mesmo receber um benefício de valor maior.

Tempo insalubre

Outra maneira de aumentar o valor recebido de aposentadoria serve para os segurados que exerceram algum tipo de atividade elencada como especial. Entre elas, trabalho em ambientes insalubres, expostos a agentes nocivos ou atividade perigosa.

Essas atividades estão previstas em lei e quem trabalhou nessas condições têm direito a se aposentar antes, sem que isso interfira no valor do seu benefício. Ou seja, é possível uma aposentadoria especial sem a incidência do fator previdenciário.

 

Inclusão de auxílio-acidente

Mais uma das formas de aumentar o valor do seu benefício pago pelo INSS é o caso de auxílio-acidente. Isso porque, a partir de 1997, por lei, não é possível receber de modo cumulativo o benefício auxílio-acidente e a aposentadoria.

Nessa mesma lei, foi determinado que o trabalhador acidentado não sofresse prejuízo por causa da redução laboral ocorrida. Dessa maneira, se no benefício não foi considerada essa mudança, deve-se solicitar uma revisão.

Artigo 29

Chamada ainda de revisão dos auxílios, trata-se de uma forma de receber mais no valor da aposentadoria. Isso se o trabalhador recebia benefício por incapacidade entre 2002 e 2009 e teve o valor calculado com erro.

Afinal, na época, o INSS não descartou as 20% menores contribuições, levando os segurados a recebem menos. Portanto, é um erro comum que ainda pode ser revisto e corrigido.

Reajuste do salário mínimo

Se você começou a receber a aposentadoria entre março de 1994 e fevereiro de 1997, pode se valer dessa revisão. Isso porque, entre aqueles anos, o cálculo dos benefícios tinha como base a média dos últimos 36 salários de contribuição.

E, por conta da inflação, era preciso atualiza os salários de contribuição, o que era feito com o IRSM – Índice de Reajuste do Salário Mínimo (IRSM).

No entanto, esse índice foi substituído pela URV – Unidade Real de Valor, acarretando um prejuízo devido à falta de uma atualização adequada.

Teto previdenciário

Essa forma de ter um valor de aposentadoria aumentado serve para quem começou a receber o benefício entre 1991 e 2003. Naquela época, os valores ficaram limitados ao teto previdenciário.

Porém, em 1998 e em 2004, emendas constitucionais aumentaram o valor máximo dos benefícios. Desse modo, quem se aposentou antes disso não teve o seu benefício atualizado, o que pode ser solicitado ainda hoje.

Leia também: Previdência privada ou INSS? Entenda a diferença

Vida inteira

Se você teve seu benefício concedido a partir de 1999, deve estar atento a esse tópico. Isso porque entende-se que devem ser considerados no cálculo da renda inicial todos os salários de contribuição da vida do segurado.

Dessa forma, não apenas os conferidos a partir de 1994, o que é comum que seja feito pelo INSS. Com isso, é possível considerar os salários de contribuição de toda a vida contributiva do segurado, mas deve-se comprovar todos os recolhimentos, caso não estejam no sistema.

 

Regra favorável

Essa outra forma de aumentar o valor do seu benefício pago pelo INSS é adequada para o trabalhador que, ao se aposentar, acumulou mais tempo de contribuição do que o necessário.

Solicitando essa revisão, portanto, é possível verificar se o segurado já preenchia os requisitos para requerer o benefício em data anterior. E, nesse caso, se a regra de cálculo que estava vigente naquele ano seria mais vantajosa para fazer o cálculo do valor da aposentadoria.

Buraco negro

Até 1992, as aposentadorias concedidas de 1988 a 1991 deveriam ter a renda mensal recalculada e reajustada conforme as novas regras da Lei de Benefícios. No entanto, nem todos os trabalhadores tiveram os seus valores atualizados.

Por isso, é possível solicitar essa revisão para verificar se houve ou não a atualização necessária no seu caso.

Nem sempre os aposentados conseguem obter sucesso nas suas solicitações de revisão. Por isso, é necessário contar com a ajuda de uma empresa de consultoria especializada, que pode aumentar as chances da revisão ser aceita e, assim, aumentar o valor do benefício.

Além disso, a consultoria ajuda profissionais da área da saúde a conseguirem a restituição de contribuições pagas além do teto máximo. Portanto, se você já é aposentado ou está planejando a sua aposentadoria, clique aqui (link da empresa) e conheça mais sobre as nossas soluções.

Fale conosco



Deixe uma resposta